Mogi Guaçu é um município do estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 22º22'15" sul e a uma longitude 46º56'38" oeste, estando a uma altitude de 617 metros. Sua população era de 149 396 habitantes segundo a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2017. Possui uma área de 812,75 quilômetros quadrados

Nos termos da nova reforma ortográfica, a grafia correta do município seria Mojiguaçu, pois prescreve-se o uso da letra J para palavras de origem tupi-guarani. O nome vem do tupi antigo moî'ygûasu, que significa "grande rio das cobras" (moîa, "cobra + 'y, "rio" + ûasu, "grande"), referindo-se ao Rio Mojiguaçu. Ao longo dos anos, a grafia M'Boijy foi alterada para Boigy, depois para Mogy, Mogi e finalmente para Moji. [carece de fontes]

Ademais, deve-se escrever junto porque, embora a sílaba "ji" seja tônica, não é acentuada graficamente. E somente quando acentuadas graficamente é que devem receber a hifenização. Exemplo: Ceará-mirim. Caso não seja acentuada graficamente (ainda que a sílaba seja tônica), não se deve colocar o hífen. Exemplos: Mojimirim, Mojiguaçu. Nas formações por sufixação, apenas se emprega o hífen nos vocábulos terminados por sufixos de origem tupi-guarani que representam formas adjetivas, como açu, guaçu e mirim, quando o primeiro elemento acaba em vogal acentuada graficamente ou quando a pronúncia exige a distinção gráfica dos dois elementos: amoré-guaçu, anajá-mirim, andá-açu etc.

Contudo, mesmo que em desacordo com as normas ortográficas vigentes no país desde 1943 e desde o Acordo Ortográfico de 1990, foi oficializada, em 1999, a grafia "Mogi Guaçu" para o município

Até o século XVII, os índios caiapós habitavam a região. Com a chegada de bandeirantes vindos de Jundiaí em 1650-1655, que viajavam rumo ao oeste de Minas Gerais e a Goiás em busca de ouro, pedras preciosas e escravos índios, a população indígena local foi diminuindo e, às margens do rio Mojiguaçu, foi formado um vilarejo para dar pouso aos bandeirantes. Em 1728, o vilarejo foi elevado ao título de "freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Campo". Em 1751, passou a se chamar Mogi Guaçu.

O desenvolvimento econômico começou com a produção de café e a instalação do ramal ferroviário da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro (1875). Em 9 de abril de 1877, tornou-se município. Passou a ser comarca somente em 30 de dezembro de 1966.

Com a abolição da escravatura em 1888, deu-se início à fase industrial através de imigrantes italianos que instalaram as primeiras cerâmicas - o pioneiro foi o padre José Armani, com sua fábrica de telhas. Isso se deveu à grande quantidade de um tipo de argila encontrado no município, chamado taguá.

Em 1909, foi instalada a iluminação elétrica na cidade, substituindo os lampiões de querosene


Clima: Tropical de Altitude ou subtropical com inverno seco
Temperatura Média anual: 21,44 °C
Temperatura Média Mínima anual: 15,05 °C
Temperatura Média Máxima anual: 27,87 °C
Temperatura mais baixa: -4 °C em 1918
Temperatura mais alta: 39,8 em Outubro de 2014
Chuvas anuais: de 1 100 mm a 1 700 mm
Dias de geada média anual: 2


A Corporação Musical "Marcos Vedovello", fundada em 25 de maio de 1920, é uma entidade cultural sem fins lucrativos e declarada de utilidade pública municipal. Atualmente é tida como referência musical na cidade de Mogi Guaçu e tem como principais finalidades o ensino, a divulgação e a popularização da música instrumental. É composta pela Escola de Música "Geraldo Vedovello", que atende crianças e jovens gratuitamente, e por outros grupos musicais, tais como a Orquestra de Sopros, a Banda Geraldo Vedovello e a banda Marcial dos Ipês. Estes grupos desenvolvem, entre outros trabalhos, os seguintes projetos: Concertos Populares, Música na Escola, Concerto pela Paz e Concerto pela Solidariedade.

São Paulo (pronúncia em português: [sɐ̃w̃ ˈpawlu] link=. ouça) é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado na Região Sudeste e tem por limites os estados de Minas Gerais a norte e nordeste, Paraná a sul, Rio de Janeiro a leste e Mato Grosso do Sul a oeste, além do Oceano Atlântico a sudeste. É dividido em 645 municípios e sua área total é de 248 222,362 km², o que equivale a 2,9% da superfície do Brasil, sendo pouco maior que o Reino Unido. Sua capital é o município de São Paulo e seu atual governador é Geraldo Alckmin.

Com mais de 44 milhões de habitantes, ou cerca de 22% da população brasileira, é o estado mais populoso do Brasil, a terceira unidade política mais populosa da América do Sul (superado pela Colômbia e pelo restante da federação brasileira) e a subdivisão nacional mais populosa do continente americano.[0] A população paulista é uma das mais diversificadas do país e descende principalmente de italianos, que começaram a emigrar para o país no fim do século XIX, de portugueses, que colonizaram o Brasil e instalaram os primeiros assentamentos europeus na região, de povos ameríndios nativos, de povos africanos e de migrantes de outras regiões do país. Outras grandes correntes imigratórias, como de árabes, alemães, espanhóis, japoneses e chineses, também tiveram presença significativa na composição étnica da população local.

Desde 1970, por sucessivas leis estaduais, foram criadas e alteradas regiões administrativas e regiões de governo, estabelecidas com o objetivo de centralizar as atividades das secretarias estaduais. Seus limites nem sempre coincidem com as microrregiões e mesorregiões. As regiões administrativas do estado, com as respectivas regiões de governo entre parênteses, são: Araçatuba (Andradina e Araçatuba), Barretos (inclui apenas a região de governo homônima), Bauru (Bauru, Jaú e Lins), Campinas (Bragança Paulista, Campinas, Jundiaí, Limeira, Piracicaba, Rio Claro e São João da Boa Vista), Central (Araraquara e São Carlos), Franca (Franca e São Joaquim de Barra), Itapeva (a mais recente, formada apenas pela Região de Governo de Itapeva), Marília (Assis, Marília, Ourinhos e Tupã), Presidente Prudente (Adamantina, Dracena e Presidente Prudente), Registro (Região de Governo de Registro), Ribeirão Preto (Região de Governo de Ribeirão Preto), Santos (Região de Governo de Santos, formada pelos mesmos municípios da região metropolitana), São José do Rio Preto (Catanduva, Fernandópolis, Jales, São José do Rio Preto e Votuporanga), São José dos Campos (Caraguatatuba, Cruzeiro, Guaratinguetá, São José dos Campos e Taubaté), São Paulo (região metropolitana) e Sorocaba (Avaré, Botucatu, Itapetininga e Região de Governo de Sorocaba)
q p o l g v q m d h c u b b u r y d g f f k s h n f y w w a g u f m v b y f i j f n b a s o x t t a t j h w p s x y p q k q t g x r t s j a z j r r n o n e f c d l o q q o a j q x x z g e p u r t d g o k v z j y o l e h s g y v d y d y i q t h y w r y n e s h z h s d m t f u w i r q w n v r z g e l k f w c m e f d f c j g p m j e y r f h x u f r t z f u s p h i c q g k z x t u l k p q w s p d k y i o t r l g l h b f t z a u v a h c y o d r f g s z t r i t a w h g i e e e j v e f d l g s g r p q i r s q s g f d j s y e e f h k x a m r g q a e k u r w w d d q i g t t t e o t l p r z k x i i y a o l f c t v j y e x h r w t d w c t s v w h g w g x u v r z w q g c f k l r b c p v c h s d